Páginas

sábado, 18 de março de 2017

Uma fração de segundo

Por Rogério Fernandes Lemes
Dourados, MS, Brasil
Imagem: dreamicus.com
Sempre estive por aí
A observar os inícios e os fins,
Mesmo antes da grande explosão...
Eu existia.

Antes da estruturação do pensamento
E da compreensão do homem sobre as coisas,
Sejam elas, observáveis ou invisíveis;
Antes da atração humana sobre o desconhecido...
Eu existia.

Tive todo o tempo criado ao meu dispor
Para contemplar a miséria e a nobreza do homem;
Suas angústias e realizações;
Sua percepção de continuidade
Através dos filhos e de seus feitos memoráveis.

Quem é o homem a ponto de ser perceptível?
Sua vida é transparente diante de mim,
Ainda que a reduzisse em uma fração de segundos
Seria necessário dividi-la em bilhões de partes e,
Ainda assim, seria muito.

Quando compreenderes que uma fração de segundo
É única e eterna,
Então saberás que existo,
Mas não compreenderás quem sou.

O que te faz grande não são suas obras;
Suas literaturas; suas manifestações
Transparentes diante de mim,
Mas sua compreensão de que uma fração de segundo
É parte de mim e, portanto, eterna.

* Sociólogo, Jornalista, Escritor e Poeta idealizador e Editor-Chefe da Revista Criticartes. Contato: rogeriociso@gmail.com

Um comentário: